-

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Uma batalha de 5.000 páginas

Terminei! 

A última batalha foi de 960 páginas, completando quase 5.000 que me deleitaram nos últimos 9 meses (com um mês de intervalo, esperando o quinto chegar). 

Valeu cada linha!

O último livro da saga Game of Thrones complementa o penúltimo, com os personagens que faltaram naquele, em que nada vimos de Tyrion e Daenerys. Em ‘A Dance with Dragons’ acontecem muito mais Points of Views deles que dos outros. Jamie, Cersei, Arya, somente voltam lá pela página 600, quando os acontecimentos voltam a ser paralelos.


Mas o que impressiona mesmo são as diferenças em relação à série da HBO. Gente, os produtores da série convenceram o autor a modificar muitas coisas muito importantes, e que por vezes, fizeram-na até mais interessante... nem sei por onde começo ...

Tyrion, por exemplo, em sua escapada rumo às cidades livres, Lord Varys o coloca num navio com uma trupe composta pelo jovem Frog, um Lorde, um maester, uma septa, um cavaleiro. Logo, você vai percebendo que eles são um time. Na verdade, Frog é o príncipe Aegon, que pensávamos ter tido a cabeça esmagada pelo Montanha Gregor Clegane, junto com sua irmã, ambos filhos de Elia Dorne, também eliminada no mesmo ato cruel. Na verdade, o esmagado seria um outro bebê qualquer, coitado.... Aegon fora salvo por Lord Varys, e criado pelo grupo para ser preparado para ser um príncipe de verdade, aprendendo línguas, religião, história, e a como se tornar um cavalheiro. Claro que Tyrion logo descobre que o sapo era um príncipe!! E é nessa viagem que Tyrion cai no mar e é salvo de ser tocado pelos Stonemen, pelo tal Lorde Jon Connington, e não por Jorah Mormont, como na série.

E Tyrion acaba se relacionando com uma outra anã, veja só, uma que vemos na cerimônia de casamento de Jofrey com seu irmão e outros anões. Ela encontra Tyrion já acorrentado por Mormont, num cabaré de Volantis, e tenta matá-lo, em vingança pela decapitação do seu irmão, que fora confundido com o anão Lannister, cuja cabeça fora colocada a prêmio por sua irmã Cersei, lembram-se. Depois, acabam se aproximando, rumo a Mereen, e rola até um beijinho, mais por pena de Tyrion. Eles são realmente escravizados no caminho, e chegam a Mereen, e acabam mesmo se apresentando na arena para Daenerys, ele montado num porco e ela num cachorro. No mesmo dia, logo depois, Drogon, o maior dragão realmente chega, faz uma destruiçãozinha básica e decola, já com Daenerys montada. E isso ocorre ANTES de ela conhecer Tyrion.

E aí veêm as mudanças com Daenerys. O episódio da arena ocorre com ela CASADA com Hizdahr zo Lorak (ou algo assim), um dos mestres de Mereen, que a convenceu a se casar com ela em troca da pacificação com os mascarados Sons of the Harpy, que estavam promovendo uma matança desenfreada. Ao menos até o final do livro, o kingsguard Barristan the Bold Selmy está vivinho Da Silva, e não morre, como na série, tentando salvar Grey Worm, e este último nunca é atacado.... Talvez no livro 6.... Barristan, inclusive, após o voo de Daenerys, desconfia do novo Rei e consegue depô-lo e prendê-lo, e torna-se Queen’s Hand!! Mesmo sem a Queen no castelo...

O livro começa com um personagem que absolutamente não é mencionado na série. Quentin Martel é filho do Príncipe Doran Martel, de Dorne. E ele está em viagem rumo ao leste, com um acordo de casamento com Daenerys. Quando ele chega, Daenerys já está casada, mas o recebe bem e até o leva para conhecer os dois dragões acorrentados. E isso acaba sendo sua desgraça porque depois, ele se junta a uma Companhia de Mercenários, Windblown, e promete resgatar os dragões para mas acaba morrendo na operação e os dragões fogem! Portanto NÃO É TYRION QUEM SOLTA OS DRAGÕES, COMO NA SÉRIE. Quanta invenção!!!

As ocorrências de Castle Black têm algumas diferenças também. Stannis chega lá sem Davos, que segue sozinho buscando alianças para aumentar sua tropa, vários capítulos só com ele. Outro que não chega na Muralha é Tormund Giantsbane, que só chega bem depois, com seus milhares de selvagens, trazido por Val, que vem a ser a cunhada de Mance Ryder.... e este, pasmem, NÃO MORRE NA FOGUEIRA. Melisandre salva o King Beyond the Wall, e engana a todos com feitiço, e ele está vivo, e sai em missão em busca de quem de Arya Stark, que estaria se casando com Ramsey Bolton. Jon realemente morre, mas não pelas mãos de Allistair Thorne e de um garoto que teve seus pais estraçalhados pelos selvagens. Este nem aparece no livro, e o mestre de armas é mandado por Jon Snow pra outro castelo do muralha, bem antes. Jon acaba o livro morto!!!

Você reparou aqui em cima que eu disse que Ramsay se casa com Arya Stark, né? Ué, mas não era Sansa que se casaria com o bastardo Bolton, em casamento arranjado por Littlefinger? Bem, no livro, nada disso acontece e é Arya quem se casa, mas, calma, na verdade, não é a Arya real, e sim Jeyne Poole, numa trama tramada (!) pelos Lannisters, para dar poder a Lord Bolton e atrair alianças com os hostes do Norte. Ufa!!! Aliás, nem Sansa, muito menos Littlefinger dão as caras por aqui.

A família Greyjoy segue tendo mais destaque no livro que no filme, tem vários capítulos com Asha. Reek, nosso velho Theon, segue dominado pelo bastardo, mas também pelo Lord Bolton, que até agora não morreu, como na série, assassinado pelo filho. Ele se junta a Mance Ryder e seis meninas capangas para libertar a falsa Aryada Winterfell de Bolton. E também tem destaque Victarion, seu tio, que segue rumo leste em busca de um casamento com Daenerys e seus dragões... aliás, o quinto livro poderia ser chamado 
‘Quem quer pegar Daenerys?’ 
afinal, veja só, Victarion Greyjoy, Quentin Martell, Aegon Targaryan, Dario Naharis chega às viass de fatoá, mas ela se casa com o tal Hizdar!!! E antes ela tinha Kahl Drogo, e o Jorah Mormont tinha uma quedinha por ela. Ô mulher desejada!!!

O interessante é que ia lendo, ia lendo, ia chegando o fim do livro, e nenhum sinal de batalha com os mortos-vivos, de sacrifício da pobre Shereen, filha de Stanis, nada de Daenerys sendo presa pelos Dothraki no Dosh Kahlen e colocando fogo, acabando com os machos, nada de Batalha dos Bastardos, nada nadinha acontecia, até que de repente, aparece um capítulo chamado ‘Epilogue’ pois é, o livro ia acabar.... e o epilogue foi com Kevan Lannister, o irmão de Tywin, que era agora o King’s Hand de Tommen.... e também é  a última vez que ele aparece ... o livro acaba com ele morto, sabe por quem, por Lord Varys, aquele mesmo, que não aparecia desdo o início da fuga rumo a Mereen.

Ah, Brienne está viva. Aparece num parágrafo e em outra citação!!
         
Ufa, muita coisa diferente, enfim, e muita coisa do Livro 6 já aconteceu na série....
Estou pronto para o próximo domingo!
Que venha a sétima temporada!!! 
Aqui, a resenha das outras 4.000 páginas
http://blogdohomerix.blogspot.com.br/2017/03/game-of-thrones-feast-for-crows.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário