-

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Pedro, um Geólogo - Parte 3: Aprendendo e Ensinando

Aqui, as primeiras partes do Depoimento de Pedro, um Geólogo


---- x ----



A Petrobras realizou todos os meus sonhos. Todas as aventuras e viagens que eu sonhei e muito, muito mais...........fui a lugares que eu jamais esperava ter ido......Groenlândia, Sibéria, China, Quênia, Iêmen, Qatar....sobrevoei o Deserto do Saara a baixa altitude durante cinco horas....... voei por sobre o Lago Baikal e o Monte Kilimanjaro........senti um terremoto na Colômbia...........entrei em um banheiro feminino na Tunísia e dei de cara com várias mulheres sem túnicas e sem véus (e sem outras coisas também...) se maquiando (imaginem descobrir qual é o banheiro masculino em escrita árabe).....sai correndo de um restaurante à beira de uma estrada na Tunísia perseguido pelos maridos das mulheres daquele banheiro feminino.....por um minuto na vida me senti como um super-star de Hollywood ao me sentar, sem saber, lado-a-lado com o ator Ben Affleck no balcão de um bar no Aeroporto de Cancun e achar que todos os sorrisos e acenos das centenas de meninas americanas que se juntaram à “minha” volta, e os flashes que elas tiravam, eram para mim voltados.....Na época eu nem sabia quem ele era, o reconheci mais tarde no cinema no filme Pearl Harbor......Conheci 40 países a serviço pela Petrobras, vários deles mais de uma vez.........

Acreditem se quiserem, vivi aventuras que seriam dignas de filmes de Hollywood. Há filmes que eu vejo, bocejo e posso dizer com orgulho: “......eu vivi passagens muito mais emocionantes que estas, nestes mesmíssimos lugares........”. Em um país pequeno, distante e remoto do Oriente Médio....................ou na capital do mundo........................histórias que irão para o túmulo comigo (e com a minha esposa Lucia, para quem eu tudo conto...........).

Poderia ficar horas e horas contando casos interessantes e hilariantes no Canadá, no Equador, na Nigéria, no Amapá, no Piauí, na Groenlândia, na Argentina, nos Estados Unidos, .................................

A Petrobras investiu no meu mestrado e no meu doutorado nos Estados Unidos......Retribuí com 27 anos de serviços prestados e contínua transmissão de conhecimentos após a obtenção destes títulos........Na Petrobras conheci minha querida e eterna esposa Lucia.........com os salários da Petrobras criei e eduquei minha família.........Na Petrobras construí uma carreira que me fez conhecido na profissão que eu escolhi, mundo afora..............Fui premiado no Brasil e no exterior.....

Conheci in loco todas as grandes regiões geológicas do mundo........o Grand Canyon, Yellowstone, os Alpes, os Zagros, os Andes, o Basin-and-Range, a Falha de San Andreas, as Montanhas Rochosas (canadenses e americanas), o deserto do Saara, o interior dobrado da China, a Sierra Madre Oriental no México, os grandes riftes africanos, a Antártica, ...................

Tudo o que eu sonhei a Petrobras me proporcionou.............

Que pena que eu jamais sonhei ser rico...............talvez até isto eu tivesse conseguido.....

Nunca trabalhei fora da Petrobras........a não ser a mando da própria.........

Mas, peraí Zalán..............Tudo foram flores? Nada de ruim aconteceu nestes 34 anos? Ninguém te sacaneou? Você não teve decepções e desilusões? Você não deu mancadas ou fez besteiras? Que carreira perfeita é esta????

É lógico que nem tudo foi perfeito.........Perdi algumas promoções..........Fui preterido em algumas nomeações que eu considerava líquidas e certas............e que talvez tivessem mudado radicalmente o meu futuro.............vários projetos propostos por mim não foram implantados.............ou, em alguns casos, foram implantados mais tarde com “outra autoria”...............sofri muita reação por parte de grupos de “amigos” contra a minha atuação independente e livre, sem amarras.............e, mais recentemente, houve até um coleguinha que aproveitando-se de minha ausência em uma missão oficial na Escócia espalhou o boato de que eu já estaria trabalhando numa outra companhia. Por uma questão de privacidade vamos chamar esta outra companhia desconhecida de “X”........Pois é, este boato espalhado por este meu “amigo” foi parar nas altas esferas da companhia, e, no meu retorno da Escócia, ao chegar em uma reunião, um gerente estranhou: “Ué, Zalán, o que fazes aqui? Você não está trabalhando na companhia “X”? E, eu, pego de completa surpresa, tive que ir de gerente em gerente desfazendo este boato. Jamais soube se eu consegui desfazer por completo o estrago causado por tal mentira...............mas, o irônico é que, dentre todas as ofertas que eu recebi, eu jamais havia recebido oferta nenhuma desta companhia “X”...............Com que intenção o coleguinha fez isto jamais descobri............

Fiz besteiras também! Peitei diretor, briguei seriamente (em questões técnicas) com um ex-Chefe de Divisão que, ironicamente, viria a ser meu chefe pouco tempo depois.............amarguei uma quarentena de meses em uma “barbearia”..........ações que, hoje em dia, não teria feito se eu soubesse da vida o que sei hoje....................

Mas, as coisas boas em muito suplantaram as coisas ruins. Os feitos técnicos tais como algumas descobertas de campos de petróleo, os projetos numerosos que conduzi, as mudanças no conhecimento geológico de várias bacias, a atividade exploratória internacional, as centenas de técnicos que eu treinei através de vários cursos ministrados ao longo de 25 anos, a consultoria sênior, a implantação do grupo revisor de locações, a co-autoria no Siplex, e, mais recentemente, a visualização e o mapeamento da geometria crustal das margens passivas sedimentares e vulcânicas, foram tão volumosos que preenchem inteiramente os vazios do meu coração..........não ficando espaço para a amargura e para o rancor.............A minha carreira, as aventuras, a minha contribuição positiva como um todo para a Petrobras, os amigos e admiradores que eu cultivei ao longo destes 34 anos, foram tão mais abundantes, tão mais intensos do que estas poucas coisas ruins, que elas acabam apagadas, dispersas e esquecidas.............e, na maioria das vezes, perdoadas...............

Ao longo da minha vida na empresa conheci gente extraordinária. Os maiores geólogos estrangeiros e brasileiros. Técnicos e cientistas fabulosos que me ensinaram coisas que jamais esqueci............gente que quando falava eu me calava e torcia para que aqueles momentos jamais terminassem.........gente que além do conhecimento fenomenal tinha também um comportamento humano sensacional.............simples e amigos..........magistrais e acessíveis............Quem são os meus ícones na profissão? Ah, quatro geólogos inesquecíveis: Antonio Pinheiro Lobo (meu colega de turma do Fundão, meu mestre de geofísica, um dos dois descobridores do campo gigante de Marlim), Rodi Ávila Medeiros (meu eterno mestre de ambientes deposicionais e das Bacias do Recôncavo, Paraná e Parnaíba), Antonio Carlos Buginga Ramos (meu outro mestre de geofísica e meu companheiro de longas discussões geológicas) e Hamilton Duncan Rangel (meu mestre de interpretação regional e da Bacia de Campos, um dos dois descobridores do campo gigante de Roncador). Os três primeiro falecidos prematuramente, Hamilton vivo felizmente...... Em todos estes quatro eu sempre reconheci conhecimentos geológicos e geofísicos muito, muito superiores aos meus.......e, interessantemente, isto jamais me perturbou.......ao contrário.........sempre me fascinou...............eu tenho um fascínio quase místico por gente mais inteligente do que eu....................


Mas, hoje eu estou nervoso e perturbado........mas tão perturbado............que, como já contei no início, me peguei fazendo sinal de parar para o trem do metrô.........como se eu estivesse chamando um táxi ou um ônibus........Imaginem o que devem ter pensado o condutor do trem e as 500 pessoas que entupiam a plataforma de embarque......

Também, não é para menos...................Hoje eu estabeleci quando será o último dia da maior parte de minha vida......e provavelmente da mais feliz também.........o último dia de uma fase que durou 34 anos, dois meses e 20 dias (dos meus 56 anos de vida) será no dia 31 de maio vindouro.

Hoje eu vou entregar meu pedido de aposentadoria da Petrobras.............

Tenham uma fantástica e emocionante carreira e uma bela vida pela frente,

Com certeza nos veremos várias vezes por aí,

Um grande abraço e até logo,
 
Pedro

7 comentários:

  1. Putz, emocionante! Não sabia que geologia poderia ser tão legal. Agora é tarde para mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca é tarde, caro Alessandro...

      Excluir
  2. Muito bacana, Pedro Zalan, voce deixa marca indelevel com a sua historia de vida e contribuicao.
    Parabens, Homero, por disponibilizar o texto do Zalan.
    abracos

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito, pena que foram só 3 posts...
    Carlos Assunção

    ResponderExcluir
  4. Sensacional e emocionante o depoimento.
    Parabéns Homerix por tê-lo publicado.
    Parabéns ao Zalan não só pelo depoimento mas tembém e, principalmente, pela contribuição à empresa e ao país.
    A propósito, Zalan se aposenta hoje, 31 de maio, a tempo ainda de comemorar ontem o dia do geólogo. Espero que ele não só tenha comemorado mas também tenha sido devidamente homenageado.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela carreira extraordinária. Sem dúvida a retirada de um profissional exemplar e uma pessoa fantástica com quem convivi pouco no tempo em que trabalhei na Petrobras, mas sempre com excelentes recomendações. Sucesso! E tenho certeza que a "vida de aposentado" lhe trará a realização de tantos outros projetos pessoais que puderam ter ficar para trás...

    ResponderExcluir